Aula 3

Profundidade de Campo

Para alguns, pode ser um problema o fato de haver certas combinações de abertura x velocidade em que a abertura influencie na nitidez de uma imagem como um todo. Cabe ao fotógrafo explorar este recurso para saber utilizar este controle de nitidez e estabelecer o quê e o quanto ele quer que esteja em foco na fotografia.

Primeiro vamos à definição de Distância Focal, que é algo determinante para estabelecer a Profundidade de Campo: É a distância que separa o centro da objetiva, focada no infinito do plano do filme ou sensor. É desta forma que se determina o tipo de objetiva. Uma objetiva 50mm é aquela que tem esses tamanho de Distância Focal, ou seja, essa distância entre o centro da objetiva até o plano do filme ou sensor. Diz-se que o a Distância Focal é de 50mm neste caso.

Profundidade de Campo é a distância máxima entre planos que podem ser considerados focados e assim,  podem ser fotografados com nitidez aceitável, que pode variar de acordo com a abertura do diafragma (que já sabemos o que é) e da tal Distância Focal.
Quando você faz foco em um objeto estarão nítidos objetos  num determinado plano à sua frente e num plano a certa distância ao fundo. Esta é a Profundidade de Campo em relação ao objeto focado. É importante saber que sempre haverá maior Profundidade de Campo em relação ao plano de fundo do que aos objetos à frente.

O que determina maior ou menor Profundidade de Campo são dois fatores:

1. A Distância Focal, pois quanto maior for a distância focal de uma objetiva menor será sua Profundidade de Campo. Ou seja, uma tele de 200mm terá nitidez em menos objetos em diferentes planos. Já uma 35mm terá nitidez em mais planos distantes um do outro.

2. Abertura do Diafragma. Quanto maior a abertura do diafragma, menor será sua Profundidade de Campo. Para se obter nitidez em um grande número de planos é necessária uma pequena abertura (f11, f16, em diante).

Com base nestas informações, podemos nos utilizar da Profundidade de Campo para acrescentar mais este recurso às nossas fotografias.

Grande Profundidade de Campo

Abertura f22, Velocidade 1/90s.
Abertura f22, Velocidade 1/90s. Note como a pequena abertura produziu uma imagem com nitidez em vários planos.
Uma pequena abertura é indispensável quando precisamos clicar arquitetura, paisagens e outros assuntos que envolvem muitos planos importantes para compor a cena.

 

Pequena Profundidade de Campo

 

 

Abertura f4,5, Velocidade 1/3000s. Neste caso apenas o objeto focado ficou nitido. Perceba que o desfoque é mais acentuado na coluna mais a frente do foco e mais gradual ao fundo. Isso pode ser chamado de foco seletivo, muito interessante para dar destaque a um determinado assunto em detrimento dos outros, ou simplesmente tirar a importância de elementos ou fundos indesejados.
Abertura f4,5, Velocidade 1/3000s. Neste caso apenas o objeto focado ficou nítido. Perceba que o desfoque é mais acentuado na coluna mais a frente do foco e mais gradual ao fundo. Isso pode ser chamado de foco seletivo, muito interessante para dar destaque a um determinado assunto em detrimento dos outros, ou simplesmente tirar a importância de elementos ou fundos indesejados.

 

 

Distância Hiperfocal

A utilização da abertura simplesmente para obter Profundidade de Campo nem sempre é a solução ideal, mesmo porque sempre que fechamos a abertura para aumentar os planos em foco perdemos entrada de luz, o que nos obriga a diminuir a velocidade com todas as suas conseqüências.

Mas existe uma maneira de sabermos como achar a Profundidade de Campo de que dispomos com determinada abertura para tirarmos melhor proveito dela. É utilizando a Distância Hiperfocal.

Para tal, é necessário definir o objeto mais próximo que deverá estar nítido, em foco, verificar sua distância aproximada e verificar no anel central da objetiva, entre o foco e a abertura, qual a menor abertura possível e onde posicionar o foco (nem todas as objetivas possuem essa marcação, infelizmente). Este, o foco, deve estar sempre na metade da distância do objeto próximo e a distância deste objeto ao infinito.

hiperfocal1

No exemplo na página anterior, vemos que a abertura mínima para fotografar um objeto a 3m e conseguir uma boa performance em direção ao infinito é f22 e o foco seria em pouco mais de 5m (ou seja, a metade em relação ao infinito segundo a marcação do anel). Note que se objeto estivesse a uns 5m a abertura poderia ser maior (f8), pois a distância mais avançada em relação ao infinito diminuiria a necessidade de uma grande Profundidade de Campo.
E qual a utilidade prática disso? Perceba que no caso de se obter uma Profundidade de Campo muito grande como no caso do objeto a 3m até o infinito é necessário um diafragma fechado, aumentando-se o tempo de exposição para a obtenção da luz necessária. Já no caso do objeto a 5m você terá como saber que pode abrir mais o diafragma para poder aumentar a velocidade. Sem esta informação tenderíamos a usar sempre aberturas pequenas para garantir grandes Profundidades de Campo, arriscando-se a tremidas ou má captura de objetos em movimento com velocidades muito baixas.