O plano B

Nem sempre a sorte está faceira ao nosso lado, nem sempre os prazos são os ideais, nem sempre a gente pode se dar ao luxo de fazer um planejamento e fechá-lo como definitivo. Principalmente quando colocamos no mesmo tubo “prazo curto” e “fotografia outdoor”. Numa produção, a gente tem que atingir um objetivo pré-determinado, ou brifado, como queiram, e não há espaço pra falhas e é preciso minimizar imprevistos. Mas o clima sempre está um pouco fora do nosso alcance e a melhor solução é sempre poder contar com uns dias de lambuja pra poder escolher o melhor. Bom, nem sempre isso é possível.

E nesses casos, precisamos do plano B, dentro do orçamento e dentro do prazo pra cumprir o briefing. A foto era na praia. Pai ensinando filho a andar de bicicleta, corpo inteiro, perspectiva da praia vazia. O prazo para produção e execução: 4 dias.

E a previsão dizia que seriam 4 dias de chuva.
E foram.

stosfot_STS4201

Solução? Enquanto a produção e casting não estavam ok, fotografar a praia antes da chuva chegar…

stosfot_STS4964

…e completar o trabalho no estúdio.

perspectiva

IMG-20150723-WA0004 cópiastosfotpais2015-025 cópia
A foto, como campanha publicitária, poderia ter uma liguagem fantasia, com um cenário quase ilustração. E como o tema da campanha remetia a uma história passada, por que não um visual (quase) retrô?

stosfot_principal2_pais2015010392_cartaz_elevador_30x42Se você só tem um plano, você não tem nenhum :).

IMG-20150723-WA0001
Na foto: Marina Gonçalves do shopping, os dois Marcelos e o pequeno Kauã

Ficha Técnica:

Fotografia e tratamento: Marcelo dos Santos
“Pai”: Marcelo Santos (atenção, não sou eu que tenho “dos”)
“Filho”: Kauã Guarnieri
Agência: Ego Comunicação Estratégica
Criação: Nassir Curi
Cliente: Praiamar Shopping Center
Aprovação: Marina Gonçalves
Produtora: Nilma Nunes
Assistente: Leonaldo Santos

Anúncios

O melhor meio

Lançamento do livro Bomfim Arquitetura Construída

stosfot_MDS9254

 
 
 
 
 
 
 
O livro de 174 páginas conta a trajetória do escritório de arquitetura que contribuiu para criar a identidade da região. Nele há quase uma centena de fotos minhas, capa inclusive.

Foi dia 24 de maio de 2013, e não deu tempo de colocar aqui até então, o lançamento do livro comemorativo do escritório Bomfim Arquitetura Construída, pelos 50 anos de sua fundação. Nele, quase uma centena de fotos minhas (a maior parte do livro, entre outras de outros autores antecedentes neste meio século retratado), fruto de um trabalho extremamente prazeroso de documentação desse incrível portifólio arquitetônico.

©Marcelo dos Santos

 

 

 

 

 

 

 

O escritório Bomfim é a mais relevante fonte da identidade arquitetônica do ABC paulista, influenciando outros de diferentes lugares, seja pelos inúmeros e ousados projetos para as edificações públicas da região, bem como pelo inconfundível traço nos empreendimentos residenciais e residências particulares.

©Marcelo dos Santos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Os arquitetos Jorge Olavo Bomfim (o fundador), André Bomfim e Juliana Traldi Bomfim me concederam total liberdade para que eu interpretasse sua obra. E assim, com planejamento adequado, prazos seguros e muita confiança no profissionalismo envolvido, fizemos com que o resultado fosse um material do qual todos nos orgulhamos ao ver impresso.

_DSF3449

 

 

 

 

 

 

 

 

©Marcelo dos Santos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

E esta é a prova do que vivo repetindo, inclusive aqui no blog: Confiança, motivação e reconhecimento é um bom meio (sorry!) de se chegar ao resultado esperado e até ser surpreendido por ele. Aliás, o melhor meio!

stosfot_STS0441

 

 

 

 

 

 

 

Jorge Bomfim, o fundador em noite de autógrafos
 
 
 
 
 
 
 
 

berço

 

De passagem pela minha terra natal, vi uma nova intervenção na arquitetura do Paço Municipal de Santo André.

Tenho tido mais prazer em visitar minha cidade do que antes, quando a reneguei inúmeras vezes. Agora, de quando em vez dá até alguma saudade.

A gente muda, se livra de algumas raízes e manias, mas algo sempre fica. Como essa mania de espreitar estranhos por uma foto, que insiste em voltar quando em vez.

Pescadores – mongaguá

Estava há um bom tempo sem sair com o objetivo específico de fotografar para o adormecido projeto Pescadores. Mas um convite do Armando Vernaglia Jr pra uns cliques free na plataforma em Mongaguá me deu um “gás” novo pro material.

Também presentes o Fellipe Carneiro e o Ricardo Araki. E isto torna interessante perceber a diferença nas linguagens para explorar o mesmo tema, num mesmo lugar e mesmo momento.

(clique nas fotos para ver mais e maiores)
Quem quiser dar uma apreciada no trabalho dos amigos e notar as várias formas de contar a mesma história, dê um pulinho aqui:
Armando Vernaglia Jr
Fellipe Carneiro
Ricardo Araki 
E minha seleção completa aqui. Clica pra ver, não custa!!
 
 
 

Preparaty #10

Série de fotos em retrospectiva à minha passagem pelo festival Paraty Em Foco.

Conversar com as pessoas é sempre uma delícia. Gente simples então, adora abrir sua vida para estranhos. Contam tudo. Muitas e muitas fotos já deixei de fazer por me envolver no batepapo de pessoas as quais eu pretendia usar de assunto para fotos. Mas a Dona Rosa não escapou. Naquele fim de dia, saindo da Ilha das Cobras em direção ao centro histórico, ela me pegou pra conversa e eu a peguei pro retrato.