#photobike

©Marcelo dos Santos • auto-retrato
Algo bom de se tornar hábito, é levar uma câmera pra todo lugar. Nem que seja uma compacta ou celular, o ideal é sempre ter uma câmera na mão. Ou melhor, sempre que você estiver vestido, afinal tem hora que a câmera não é bem vinda mesmo.
E aprimorando este hábito, comecei criando algumas associações ou adaptações a outras atividades. Pedalar e fotografar é a união de dois grandes prazeres que se revelou muito legal. A bicicleta permite certos acessos, e principalmente, certa atenção que ao volante de um carro não temos. Também, claro, é mais ágil do que estar de pedestre quando enxergamos uma foto a uma distância maior. Fora o discurso todo de bem estar, liberdade, curtir a natureza e blá, blá, blá… O lado ruim é a vulnerabilidade em certos lugares e o risco de pequenos acidentes causarem grandes danos. Minha solução, e cada um que arrume a sua, foi usar uma pequena mochila de caminhada, um corpo DSLR backup (aquela, velhinha) e objetivas mais baratas. Nada de carregar todas as suas objetivas, filtros, tripés, flashes, sombrinhas, softbox, gerador etc. Normalmente vou com a 50mm 1.8 da Nikon, que é leve e divertida e não custa caro, algumas vezes levo uma mini-tele 18-70mm (que usei nessas fotos acima e abaixo), afinal meu seguro é só pra roubo, tombo de bicicleta está fora da cobertura.
Se aqui no meu pedaço existir alguém que lê esse blog e ache a idéia boa, me escreva, estou com vontade de formar um grupo de photobikers pra encarar algumas saidas mais longas e divertidas. Acho que vai dar pedal!

©Marcelo dos Santos