berço

 

De passagem pela minha terra natal, vi uma nova intervenção na arquitetura do Paço Municipal de Santo André.

Tenho tido mais prazer em visitar minha cidade do que antes, quando a reneguei inúmeras vezes. Agora, de quando em vez dá até alguma saudade.

A gente muda, se livra de algumas raízes e manias, mas algo sempre fica. Como essa mania de espreitar estranhos por uma foto, que insiste em voltar quando em vez.

Anúncios

Porta Retratos #2

Roots


©Nelson dos Santos

E aqui estão Dona Diva e Seu Nelson, meus pais que se foram ainda na minha adolescência. Ele, desde sempre um fotógrafo hobbysta (hobista? hobbista? robista?), mas que não teve tempo de me deixar o legado em mãos. O fez possivelmente pelo gene, junto com o narigão de apoio. A bela moça de casaco de couro verde (sim, era verde, eu sei), minha mãe, ainda era sua namorada nessa foto. O ano? Anos cinquenta, não sei ao certo. A moto, outra fixação, uma Jawa 250. O lugar, pra lá da Estrada do Pedroso, caminho para o Clube de Campo do ABC em Santo André, eu acho (parece bastante). Agora, a câmera… ainda estou tentando descobrir. Sei que ele teve uma 6×6, mas no tempo em que convivemos já usava uma SLR Ricoh, que se foi, roubada.
Uma pena, essas histórias ficaram pelo caminho e volta e meia eu tento reencontrar e redescobrir.